SEJAM BEM - VINDOS!!

SEJAM BEM - VINDOS!!















quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

LENDA DOS DUENDES NO NATAL"!!!

Segundo se sabe, os duendes e Papai Noel são grandes amigos. De acordo com as crenças, eles fabricam brinquedos, pintam, entalham quadros e enfeites com a maior perfeição possível. São eles que colocam os presentes no trenó. Os ajudantes do Papai Noel vivem em regiões remotas do pólo norte, seguros, longe da invasão humana. Trabalham muito durante todo ano para que não falte brinquedo para nenhuma criança e, para descansar passeiam alegremente por entre os presentes e enfeites natalinos.
LENDA
Segundo a lenda Papai Noel juntamente com seus assistentes, os duendes, fabricam presentes para oferecer às crianças que se comportaram e obedeceram os pais durante o ano. Os duendes além de fabricarem presentes, trabalham também perto de nossas casas conhecendo o comportamento de cada criança e sua obediência com seus pais e para isso percorrem todo o mundo.

Ao passar pelas casas, recolhem as cartinhas feitas pelas crianças e as levam até o Pai Natal De acordo com o comportamento visto pelo duende é que o Pai Natal concede ou não o presente escrito pela criança em sua cartinha.

Quando o pedido é concedido os duendes fabricam o presente e o Papai Noel pessoalmente se dirige até a casa de cada criança em seu trenó, puxado pelas renas, e desce pela chaminé ou entra pela janela, assim deixa o presente debaixo da árvore de natal. Na noite de natal o presente será encontrado na árvore com o nome de cada criança.

São personagens da Escandinávia, onde a muito tempo as pessoas acreditavam que suas casas eram guardadas contra o mal pelos gnomos ou duendes.

Algumas pessoas dizem que há 13 duendes, outros dizem 9, mas são eles: Askasleikir Bjugnakraekir Faldafeykir Stekkjarstaur Gattathefur Giljagaur Gluggagaegir Ketkrokur Kertasnikir Pottasleikir Skyrjarmur Stufur Thvorusleikir.

Mas todos com a pronuncia bem complicadas, mas a certeza é que esses ajudantes fazem junto com o Papai Noel o nosso Natal mais Magico.

domingo, 28 de novembro de 2010

Leprechaun

Figura mitológica do folclore da Irlanda, o leprechaun (pronuncia-se /LÉP-re-káum/) é apresentado como um diminuto homenzinho, sempre ocupado a trabalhar em um único pé de sapato em meio às folhas de um arbusto ou "sob uma folha de labaça".[1] Ele é tido como o sapateiro do povo das fadas. Também são conhecidos pelos nomes de Tumores, Duendes ou Gnomos.
Os leprechauns são considerados guardiões ou conhecedores da localização de vários tesouros escondidos. Para obter tais tesouros (normalmente um pote de ouro) é preciso capturar um leprechaun e não perdê-lo nunca de vista. Caso contrário, ele desaparece no ar. Como diz Brian Froud, "Como acontece com todos esses seres (encantados), é importante que você veja o leprechaun, ou duende irlandês, antes que ele o veja, pois ele se torna então mais cooperativo e talvez possa até levá-lo a um de seus potes de ouro escondido. Mas ele é muito astuto e traquina, capaz de desaparecer num piscar de olhos".[2] Acredita-se que eles também tenham uma moeda de prata mágica, que volta a sua bolsa, depois de ser gasta.
Os leprechauns são descritos como sempre alegres e vestidos à maneira antiga, com roupas verdes, um barrete vermelho ou um estranho chapéu de três pontas,[3] avental de couro e sapatos com fivelas.
Esses duendes são frequentemente associados ou confundidos com os cluricaun, criaturas mágicas que habitam adegas e depósitos de vinho. Segundo alguns autores[3][4] estes dois seres encantados poderiam até ser duas formas diferentes do mesmo ser, tomadas em diferentes momentos do dia ou do ano.
O nome leprechaun é possívelmente originário do Gaélico luacharma'n, significando meio-corpo (no sentido de pequeno) ou leith brogan que significa sapateiro. Outra interpretação para a origem do termo seria a de que leprechaun vem de Luch-chromain, Gaélico para "pequeno Lugh corcunda"
O leprechaun aparece nas lendas e folclore irlandês. Lá, é conhecido como um pequeno homem de roupas verdes, bigode, olhar simpático e um cachimbo na boca. Geralmente vivem em pequenos arbustos, em bosques ou florestas. São conhecidos por serem os sapateiros das fadas, e, diz-se que fazem só dois sapatos por ano. Os Leprechauns não gostam de humanos e têm medo deles, mas quando se vem com boas intenções, eles dão-nos um par de sapatos. Os sapatos que eles fazem são muito bonitos e são feitos de materiais naturais, tais como, flores e gotas de orvalho. Além do seu cachimbo, estão sempre acompanhados pelo seu pequeno, velho e gasto martelo. O Leprechaun é muito pequeno, pois tem apenas, 30 a 50 cm.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

poesia

DUENDES

Andam duendes à solta

Nalguns caminhos 'scondidos,

Só quem apura os sentidos

Pode senti-los à volta.

Ouvem, alguns, gargalhadas,

Outros só ouvem gemidos,

Nesses atalhos seguidos

Em noites mais estreladas.



É nesse mundo risonho,

Sem um temor desmedido,

Que cause dor, ou revolta,

Que, quem viveu um tal sonho,

Se mostra mais convencido

Que andam duentes à solta.



Vítor Cintra

do livro: Pedaços do Meu Sentir

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Happy Halloween!!

A origem do Halloween


O calendário da bruxaria resume-se no relacionamento da "Grande Deusa" (representada pela Lua e que nunca morre) com seu filho, o "Deus Chifrudo" (representado pelo Sol e que a cada ano nasce no dia 22 de dezembro e morre no dia 31 de outubro).
Na roda do ano wicca (bruxaria moderna), o dia 31 de outubro é o grande sabá (festa) de Samhain (pronuncia-se "sou-en"). Nessa época tudo já floresceu e está perecendo ou adormecendo (no Hemisfério Norte): "O sol se debilita e o deus está à morte. Oportunamente, chega o ano novo da wicca, corporificando a fé de que toda morte traz o renascimento através da deusa."

O que é Samhain? É uma palavra de origem celta para designar "O Senhor da Morte". Os celtas dedicavam esse último dia de outubro para celebrar a "Festa dos Mortos".

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

SER BRUXA

Que eu seja como a que tece o pano


na floresta, profundamente escondida.

Que eu possa fazer o meu trabalho sem interrupção.

Que eu seja uma exilada, se este é o sacrifício.

Que eu conheça a procissão sazonada do meu espírito e do meu corpo, e possa celebrar os quartos em cruz,

solstícios e equinócios.

Que cada Lua Cheia me encontre a olhar para cima, nas árvores desenhadas no céu luminoso.

Que eu possa acariciar flores selvagens, cobri-las com as mãos.

Que eu possa libertá-las, sem apanhar nenhuma,

para viver em abundância.

Que meus amigos sejam da espécie que ama o silêncio.

Que sejamos inocentes e despretensiosos.

Que eu seja capaz de gratidão. Que eu saiba

ter recebido a alegria, como o leite materno.

Que eu saiba isso como o meu gato, no sangue e nos ossos.

Que eu fale a verdade sobre a alegria e a dor,

em canções que soem como o aroma do alecrim,

como todo o dia e na antiguidade, erva forte da cozinha.

Que eu não me incline a auto-integridade e a auto-piedade.

Que eu possa me aproximar dos altos trabalhos da terra e dos círculos de pedra, como raposa ou mariposa,

e não perturbar o lugar mais que isso.

Que meu olhar seja direto e minha mão firme.

Que minha porta se abra àqueles que habitam

fora da riqueza, da fama e do privilégio.

Que os que jamais andaram descalços não encontrem o

caminho que chega a minha porta.

Que se percam na jornada labiríntica. Que eles voltem.

Que eu me sente ao lado do fogo no inverno

e veja as chamas brilhando para o que vier,

e nunca tenha necessidade de advertir ou aconselhar,

sem que me peçam.

Que eu possa ter um simples banco de madeira, com verdadeiro regozijo.

Que o lugar onde habito seja como uma floresta.

Que haja caminhos e veredas para as cavernas e poços

e árvores e flores, animais e pássaros,

todos conhecidos e por mim reverenciados com amor.

Que minha existência mude o mundo não mais nem menos do que o soprar do vento, ou o orgulhoso crescer das árvores.

Por isso, eu jogo fora a minha roupa.

Que eu possa conservar a fé, sempre!

Que jamais encontre desculpas para o oportunismo.

Que eu saiba que não tenho opção, e assim mesmo

escolha como a cantiga é feita, em alegria e com amor.

Que eu faça a mesma escolha todos os dias e de novo.

Quando falhar, que eu me conceda o perdão.

Que eu dance nua, sem medo de enfrentar meu próprio reflexo.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Oração pela Saúde


Ao Glorioso Rafael Arcanjo, Arcanjo da presença de Deus, Patrono dos Amantes sinceros e da Saúde.

Peço Misericórdia e cura nos caminhos de (fale o nome da pessoa) para que sua mente, suas emoções e sua alma se restabeleçam e possa este filho de Deus ter a graça de curar os males do espírito e do corpo.

Arcanjo Rafael, Arcanjo do trono do Altíssimo, tu conheces os caminhos e o coração de cada um que anda sobre a Terra. Sabes as pragas e as maldições que nos cercam. Protegei junto com os Senhores da Chama a alma, o coração e o corpo de (fale o nome da pessoa); para que sua mente se equilibre e seu coração possa se abrir para encontrar a cura esperada, segundo o seu merecimento e suas ações.
Eu (fale seu nome completo) me coloco diante de Ti e dou graças e louvores a Deus e todos os tronos de seres de Luz, dos Anjos, dos Arcanjos, antepassados, ancestrais, ao mundo visível e invisível, pois sei que minha súplica será aceita para a glória do Arcanjo Rafael e dos Anjos e que neste instante (fale o nome da pessoa) sinta o amor que flui do meu coração, o cobrindo de ternura e trazendo a cura, a alegria e a vida que somente aqueles que amam de verdade podem transmitir.
Que o céu e a Terra louvem o nome de Deus e dos anjos agora e para todo Sempre
Assim Seja.
Faça o Salmo 12 e ofereça ao Arcanjo Rafael com uma vela amarela de sete dias acesa, um copo de água ao lado e uma rosa branca.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

OS 10 PASSOS

Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos .


1. Abra Espaço em sua vida para os anjos


2. Reze em voz alta

3. Use o nome de Deus

4. Faça suas orações e decretos diariamente

5. Peça ajuda

6. Repita os decretos e orações

7. Envie sua oração para o endereço certo

8. Seja específico

9. Visualize o que você quer que aconteça

10. Espere ser surpreendido

A Idade de Ser Feliz

A Idade de Ser Feliz
Existe somente uma idade para a gente ser feliz,

somente uma época na vida de cada pessoa

em que é possível sonhar e fazer planos

...e ter energia bastante para realizá-las

a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente

e desfrutar tudo com toda intensidade

sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar

e recriar a vida,

a nossa própria imagem e semelhança

e vestir-se com todas as cores

e experimentar todos os sabores

e entregar-se a todos os amores

sem preconceito nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem

em que todo o desafio é mais um convite à luta

que a gente enfrenta com toda disposição

de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,

e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente

chama-se PRESENTE

e tem a duração do instante que passa.
 
Hoje uma data muito especial!!!!!!!o meu ano novo!!!!!!rsrsrs

terça-feira, 12 de outubro de 2010

O Despertar dos Chakras pela Kundalini


A kundalini é como uma Lótus. O aumento do número de pétalas, numa ordem crescente, pode ser entendido como um crescendo de energia ou freqüências vibratórias de cada Chakra. As letras em sânscrito normalmente inscritas nas pétalas indicam as vibrações e também representam as intensidades variadas das energias que trabalham em cada Chakra.
De acordo com o Gandharvatantra , a Kundalini se movendo do Muladhara até o chakra Anahata, brilhando como ouro derretido, é conhecido como Kundalini Fogo; do Anahata ao Visuddha, brilhando como um milhão de sóis, como Kundalini Sol; do centro do Visuddha até o fim do Sushumna-nadi, lustroso como um milhão de luas, como Kundalini Lua. O aspecto da Kundalini que está além do Sushumna torna-se supraconsciente, abraçando todas as formas de sons e de luz.

A importância dos Chakras se encontra na função que eles possuem no momento em que a Kundalini, elevando-se através do canal Sushumna em direção ao topo da cabeça, toca cada um deles em sua jornada. Em cada fase, a energia é representada por um elemento numa ordem crescente: terra, água, fogo, ar e éter.

Cada um destes cinco vórtices significam uma nova qualidade e cada um é, ao mesmo tempo, uma extensão e uma limitação do outro.
A energia Kundalini não sobe numa explosão em uma linha reta. Em cada estágio é ativado um aspecto diferente de energia. Em cada Chakra, esta ativação promove transformação. Nos ensinamentos tântricos, a purusha só é sentida a partir do quarto chakra Anahata. Purusha é a essência do homem, o homem supremo. Assim, em reconhecimento aos sentimentos e idéias, a pessoa vê a purusha. Este é o primeiro vislumbre que o ser tem de algo que está contido nele mesmo mas que é maior e mais importante do que ele e que possui uma existência puramente psíquica.

O traslado do Anahata até o quinto chakra Visuddha leva-nos ao reconhecimento de um 'fato psíquico' . O elemento éter relacionado com o Visuddha é colocado acima dos outros cinco e os transcende. A presença da sílaba OM dentro do triângulo interno de Ajna o sexto chakra é uma indicação clara que o simbolismo associado é o da origem do começo de todas as coisas e o seu fim. OM está na mesma posição que as vibrações sônicas da qual todas as coisas emergem e que devem, eventualmente, ser absorvidas no final do ciclo cósmico. Os elementos e os outros símbolos associados dentro de cada vórtice devem ser compreendidos como se referindo às polaridades positiva e negativa dentro da personalidade. À medida que a Kundalini sobe para os planos dos outros centros, o iniciado experiencia uma interação de experiências visionárias, com sensações de som, luz e cores.
No nível do sexto Chakra, Ajna, o centro entre as sobrancelhas, o funcionamento dialético da personalidade é controlado por meio de uma força de comando que pode harmonizar as energias. Isto é equivalente ao Processo de Individuação difundido por C.G. Jung, quando o indivíduo transcende todas as barreira interagindo com sua personalidade. Na Kundalini -yoga o iniciado aprende, sob a supervisão de um guru, a equilibrar o processo dialético dos chakras inferiores. Uma vez que o equilíbrio é alcançado, a individuação psíquica resulta como uma forma completamente nova de consciência.

O sétimo e último chakra, não está associado a nenhuma cor, elemento ou som. Ele possui 1000 pétalas e conquistá-lo é conquistar o mundo de Brahma onde a liberação total está simbolicamente localizada.

Terminando a sua jornada no chakra Sahasrara, a kundalini Sakti que possui o brilho de um relâmpago e é composta por três gunas (qualidades), retorna ao seu local de descanso, o Chakra Muladhara.

O tempo que um aspirante deve permanecer em cada chakra depende de seu apego e ação karmica. O chakra raíz Muladhara, o quarto chakra Anahata, e o quinto chakra Ajana são os grandes obstáculos para a ascensão da Kundalini. Três chakras estão associados com o nós (granthis) de Brahma, Vishnu e Rudra , e com os bloqueios psíquicos chamados lingas ( o linga Svayambhu, Bana e ltara respectivamente). A palavra sânscrita lingam é derivada de raízes de dissolver e sair (deixar ir). Limpar o nó de Brahma é se estabelecer na totalidade; limpar o nó de Vishnu é perceber a existência de um pricípio universal; e limpar o nó de Rudra é conquistar o estado não-dual, a realização da unicidade da paz universal.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

LUA MINGUANTE -01/10/2010

A lua minguante representa o período de envelhecimento e morte de todos os seres e coisas, é natural as mulheres menstruarem na lua minguante, pois seu óvulo não fecundado morre e é descartado nesse período. Na Lua Negra transformamos, na Nova criamos, na crescente colocamos em prática nossos objetivos, na cheia eles se fortalecem e na minguante eles são ‘arquivados’, morrem para que possamos na lua negra iniciar todo o ciclo de analise, criação, expansão, fortalecimento e término novamente.

Nesse momento a Deusa percorre os portais até o submundo, ela é a Senhora, a Anciã que em breve será Rainha das transformações. Esse é um período de grande transição, nervosismo, conflitos, dúvidas são características muitos presentes durante a lua minguante. Assim como a Deusa percorre os portais entre os mundos, nós estamos no fim de um ciclo, finalizando por completo projetos e tendo a necessidade de começar a buscar por novos. É também um período de descanso, já que na Lua Cheia muito da energia foi desprendida.

Orações? Sim orações! Os Bruxos conversam com suas divindades, obviamente de uma forma diferente (não ajoelham ou se colocam inferiores), mas conversam, pedem e agradecem da mesma forma que todas as outras religiões. As orações podem ser espontâneas ou montadas com antecedência, podem ser ritmadas ou não, devem apenas estar relacionadas ao esbbath, conversem com os Deuses, peçam ajuda para enfrentar, compreender e controlar as energias e pensamentos que os circundam. Encarem todas as imagens e sensações que os DEUSES vão lhe mandar para auxilia-los nesse momento. Apenas não esqueçam o Adágio:


“Cuidado com o que pede aos Deuses, pois eles podem realizar”.

Se você não está pronto para enfrentar determinada situação, não peça, não busque, não tente amplia-la. Se você pedir aos DEUSES auxilio em algo que você ainda não está pronto para ter, eles podem te dar exatamente para você ‘sofrer’ naquilo e aprender a não pedir coisas com as quais não está pronto para conviver.

Fontes: Textos da Colunista Dayne Anglius Dosken - Sacerdotisa da Tradição: C.Lística Grega Atheniense.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

EQUINÓCIO DE PRIMAVERA – OSTARA

(21 de Março) H. Norte / (21 de Setembro) H. Sul
Pela primeira vez no ano o dia e a noite se fazem iguais. É portanto, uma data de equilíbrio e reflexão. Os dias escuros se vão, e a TERRA está pronta para ser plantada. É quando os Deus e Deusa se apaixonam, e deixam de ser mãe e filho.
Nessa data, a semente da vida é semeada no ventre da Deusa, A Donzela revigorada e cheia de alegria. O Deus é devidamente armado para sair em sua viagem no mundo das trevas e reconquistá-lo, para que posteriormente a luz volte a reinar.
Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da Fertilidade, cujo símbolo é o coelho. Foi desse antigo festival que teve origem a Páscoa. Os membros do Coven usam grinaldas, e o Altar deve ser enfeitados com flores da época. É um costume muito antigo colocar ovos pintados no Altar. Eles simbolizam a fecundidade e a renovação. Os ovos podem ser pintados crus e depois enterrados, ou cozidos e comidos enquanto mentalizamos nossos desejos. Nesse caso, não utilize tintas tóxicas, pois podem provocar problemas se ingeridas.
Use anilinas para bolo, ou cozinhe os ovos com cascas de cebola na água, o que dará uma bela cor dourada. Antes de comê-los, os membros do Coven devem girar de mãos dadas em volta do Altar para energizar os pedidos. Os ovos devem ser decorados com símbolos mágicos, ou de acordo com a sua criatividade.
Os pedidos devem ser voltados à "fertilidade" em todas as áreas
Deve-se colocar flores no altar, ao redor do círculo e enfiadas no chão. O caldeirão pode ser cheio com ÁGUA mineral e flores, e botões e brotos também podem adornar as vestes. uma pequena planta envasada deve ser colocada no altar. Prepare o altar, acenda as VELAS e o INCENSO , e abra o círculo, invoque a Deusa e o Deus. De pé diante do altar, observe a planta e diga:

"Ó Grande deusa, Liberta da prisão gelada do inverno.

Agora é a hora do verdejar, quando a fragrância das flores se espalha com a brisa.

Este é o início.

A vida se renova por sua magia, Deusa da Terra.

O deus se distende e se ergue, ansioso em sua juventude,

e pleno com sua promessa do verão."
 
Toque a planta. Concentre-se a sua energia e através dela com toda natureza. Viaje por suas folhas e ramos em sua visualização do centro de sua consciência para fora de seu braço e dedos e penetrando dentro da própria planta. Explore sua natureza interior; sinta os milagroso processos da vida ativos em seu interior. Após algum tempo, ainda tocando a planta, diga:
"Caminho pela TERRA em amizade, não como dominador.

Deusa Mãe e Deus Pai, depositem em mim Através desta planta um AMOR por todas as coisas vivas;

Ensinem-me a reverenciar a TERRA e todos os seus tesouros.

Que eu jamais me esqueça."

Medite acerca das mudanças de estações. Sinta o crescer das energias na TERRA a seu redor. Trabalhos de magia, se necessários, podem seguir. Celebre um banquete simples. O círculo está desfeito.
 
ERVAS TÍPICAS DO EQUINÓCIO DE PRIMAVERA - OSTARA
Cinco- folhas, Narciso, Madressilva, Íris, Jasmim, Rosa , Morango e Violeta
 
COMIDAS TÍPICAS DO EQUINÓCIO DE PRIMAVERA – OSTARA

Sementes como o Girassol, abóbora e Gergilim , assim como Castanhas de Pinheiro. Brotos, verduras folhosas e verdes. Pratos com flores, como nastúrcios recheados ou bolinhos de Cravo .

Fonte:oldreligion.com.br

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O PODER DA LUA

O PODER DA LUA!!

A lua simboliza a energia feminina em muitas culturas do mundo. Ela controla as marés, movimentando toneladas e toneladas de água, imagine o que ela pode fazer com as águas do nosso corpo.
A lua representa as profundezas do inconsciente.

Suas 3 fases refletem o poder sobre o Céu, a Terra e as Trevas. Ela é o princípio da reflexão, pois reflete a luz solar. Têm Influência nas plantações e colheitas, nos animais, e em todos os seres vivos. Tem uma profunda relação com a água. Trabalha nossas emoções e habilidades psíquicas, aumenta a intuição. É a senhora dos sonhos.
A lua também possui uma face sombria e chega suave e gentilmente até nós para que examinemos a sombra de nosso próprio ser. Reconhecemos que é a Lua quem domina a Terra, e tem uma indiscutível influência sobre a psique humana, portanto a estudamos e a reverenciamos.

LUA CHEIA!!
Assim como a lua influencia magneticamente a água, ela também afeta nosso corpo etérico. A Lua Cheia aumenta a freqüência vibratória do corpo sutil, tornando as pessoas mais energizadas. Isso é muito importante, porque o corpo etérico faz a ligação entre o corpo físico e plano mais sutis, assim permite que flua mais energia interior e informações para o cérebro e sistema nervoso.

A Lua Cheia aumenta a sensibilidade e a atividade psíquica. É como se abrisse um portal entre os dois mundos, o denso e o sutil. É propícia para uma atividade espiritual mais intensa, para um trabalho interior mais profundo e dinâmico.

Historicamente a Lua Cheia sempre foi evocada para o trabalho interior, portanto, nós seguimos o mesmo comportamento e somos ajudados por este grande padrão arquetípico. Como ela pode ser vista em todos os lugares do planeta, é um sinal para um grande grupo planetário de trabalho.

A Lua Cheia possui qualidades curativas, especialmente, em órgãos femininos. Os remédios feitos com ervas e substâncias naturais, têm seu efeito potencializado, aumentando as chances de êxito no tratamento.

É a Lua ideal para abandonar vícios (álcool, tabagismo, drogas, etc).

Trabalha o amor e a sexualidade. É uma boa Lua para solidificar relações amorosas, e ótima para se fazer amizades.
Os remédios feitos com ervas e substâncias naturais, têm seu efeito potencializado, aumentando as chances de êxito no tratamento.
Nossas preces , orações, e evocações chegam mais facilmente ao seu destino.

O que você deve evitar na Lua Cheia.....

Deve-se evitar todo e qualquer tipo de excesso na Lua Cheia .

As brigas devem ser evitadas, porque os nervos estarão mais sensíveis e o humor das pessoas é instável na Lua Cheia.
Os ciúmes e a possessividade se evidenciam mais.

RITUAL DA LUA AZUL (segunda Lua cheia dentro do mês)

RITUAL DA LUA AZUL (segunda Lua cheia dentro do mês)
Quando em um mês houver duas luas cheias, embora toda lua seja mágica, a segunda é considerada "azul"; por isso, deveremos honrá-la num ritual especial. Ela vem com sua forte energia de mudanças profundas e drásticas para a Humanidade e para a Mãe-Terra.
Os portais do centro da Terra serão abertos como também os portais dos nossos corpos físicos, etéricos, mentais. Profundas curas ocorrerão com a energia dos cinco elementos (água, ar, éter, fogo, terra), seres angelicais e mestres Ascencionados, regidos pela Lua Azul.
Os homens e mulheres de boa vontade são convocados a se reunir em pontos de luz para mobilizarem e ampliarem esta energia que irá curar nossas dores profundas, transformando-as em amor, prosperidade, alegria e paz .
Use roupas leves e azuis. Tome banho com seu perfume preferido na água e use a pedra da lua! Durante os sete dias, procure comer muitas frutas e sempre que as comer, mentalize coisas boas. Tenha flores na mesa, mesmo que artificiais. É importante, no primeiro dia, oferecer uma taça de champanhe à Lua, acender uma vela azul e orar, especialmente pedindo por todos e depois por você.

Que Miguel, Gabriel, Rafael e Astréa estejam presentes com suas espadas de luz circulando a proteção ao nosso planeta.
Quando terminar o ritual, faça sua mentalização. Na tentativa de ajudá-lo, eis a que sempre faço:

"EU SOU A ALEGRIA DA PAZ! A Luz da Fé e da Esperança!"

DIA DE LUA CHEIA

DIA DE LUA CHEIA

A Lua Cheia exerce grande poder sobre a nossa vida e deve ser celebrada de modo especial.
Aí estão os rituais realizados na primeira noite de Lua Cheia de cada mês do ano. Fique de olho no calendário e celebre a Lua!

JANEIRO: Comemore a primeira Lua Cheia do ano acendendo uma vela branca no primeiro degrau de uma escada de sua casa (pode ser uma escada simbólica, feita com livros, por exemplo). Isso significa que você está disposto a receber todas as Luas do ano com amor e fé. A Lua agradecerá e um importante elo de Magia se fará entre vocês.

FEVEREIRO: A Lua Cheia de Fevereiro pode presentear você com um mágico amuleto. Colha sete folhas de árvores diferentes e deixe-as "dormindo" sob uma pedra da lua nesta noite. Na manhã seguinte, coloque as folhas em um saquinho da cor do seu signo e leve-o com você. Este amuleto lunar tem o poder de aumentar nosso magnetismo pessoal.
MARÇO: Este é o mês do Ritual dos Elementais. Para atraí-los faça nessa noite uma "cara de maçã" utilizando cravos-da-Índia para fazer os olhos, nariz e boca. Coloque a maçã em um recipiente com um pouco de água e deixe dormir no batente da sua janela. Esta antiga brincadeira atrai os elementais, que trazem ao lar a Magia e a alegria.
ABRIL: Na Lua Cheia de Abril, devemos fazer uma Magia em homenagem aos Elfos. Coloque em sua janela doces e balas coloridas dentro de um círculo feito com açúcar e vá dormir. Dizem que, nesta noite, os elfos saem para dançar e agradecem sua oferenda, proporcionando dias de muita alegria.
MAIO: A Lua Cheia de Maio deve ser dedicada à busca do amor verdadeiro. Se você ainda não encontrou o seu, esta é uma boa oportunidade. Nesta noite, olhe para a Lua e peça que ela lhe traga o seu amor verdadeiro. A Lua de Maio é a Lua dos Amantes. Dizem que, do alto, ela sempre encontra a nossa metade e traz até nós.
JUNHO: A Lua Cheia de Junho tem de ser bem festejada! Dizem que esta é a Lua da alegria, da dança e da música. Nesta noite divirta-se com a Lua! Vista-se de branco, coloque uma música e dance a Dança da Lua com seus próprios passos, obedecendo sua intuição. A Lua emocionada vai agradecer. E é incrível como esse ritual tem o poder de nos revigorar!
JULHO: A Lua de Julho é a Lua das Crianças, a Lua de contar histórias. Uma lenda antiga diz que quem contar uma história muito bem contada para alguém, nesta noite, constrói seu destino, pois a Deusa Lua tem, neste dia, o poder de transformar as histórias contadas em histórias reais. A criatividade é seu instrumento; e o resultado, seu destino!
AGOSTO: A Lua Cheia de Agosto é a Lua da Fertilidade. Faça uma Magia com esse fim. Peça um caminho fértil e próspero fazendo nesta noite o plantio simbólico dos grãos. Pegue onze grãos diferentes e enterre-os nessa noite. Eles simbolizam o potencial que todos temos. Peça à Lua que transforme esse potencial em realizações. Esta é a noite ideal para isso.
SETEMBRO: A Lua de Setembro ensina uma Magia amorosa muito especial. Faça um desejo de amor. Coloque em um pires sete pétalas de rosas e deixe-as sob o luar. No dia seguinte, verifique quantas pétalas foram levadas pelo vento. Quanto maior o número de pétalas levadas, maiores as chances de ver seu desejo realizado.
OUTUBRO: Esta é a "Lua das Bruxas". Aproveite e faça uma Magia antiga. Acenda uma vela branca e peça paz, uma rosa e peça amor, e uma amarela e peça prosperidade. Do lado de cada vela, deixe um botão de rosa da mesma cor. No dia seguinte, ofereça o botão branco para quem precisa de paz, o rosa para quem precisa de amor e o amarelo, prosperidade. É oferecendo que se recebe. A grande sabedoria está em saber dividir.
NOVEMBRO: A Lua Cheia de Novembro é a "Lua do Portal", pois é por ela que os seres mágicos que invadiram nosso mundo (Haloween) voltam para seus mundos encantados. Devemos despedir-nos deles agradecendo por todas as alegrias que deixaram. E se nesta noite puder observar a Lua, verá uma pequena multidão de seres entrar por ela.
DEZEMBRO: A última Lua Cheia do ano ensina uma Magia de fé. Nesta noite, faça uma lista com todos os desejos que realizou durante o ano. Conte quantos foram, enterre um grão qualquer para cada desejo realizado e agradeça à Deusa da Magia. peça a renovação de sua fé para que, no próximo ano, muitos outros "grãos de desejos" possam ser plantados.

[Retiro dos Magos]

Ritual da Lua Cheia

Ritual da Lua Cheia

Na noite de Lua Cheia, prepare seu altar para a Magia Lunar - toalha e vela branca, cálice com leite, incenso com perfumes lunares (rosa branca, lírio, cânfora, etc.) e um cristal de quartzo.

Acenda a vela, incenso e invoque as deidades da Lua, dizendo: DEUSAS DA LUA, SENHORAS DA NOITE, MESTRAS DA MAGIA E DO ENCANTAMENTO: ARIANRHOD, ARTEMIS-DIANA, HEKATE, IO, ISHTAR, íSIS, LEUCHOTHEA, LUNA, SELENE E TODAS VóS, SANTAS E SAGRADAS! A MIM VENHAM AS TUAS BENçãOS! A MIM E A TODAS AS TUAS CRIATURAS, FILHOS E FILHAS DA DEUSA! PAZ! PROTEçãO! SAúDE! BLESSED BE!

Coloque o dedo indicador no cálice com leite e desenhe um crescente em sua testa. Eleve ambos os braços para o Céu e sinta os raios lunares descendo até você. Fique assim por alguns instantes. Depois, levante o cálice para o alto, com as duas mãos, imaginando que as bençãos da Lua se concentram nele. Beba todo o leite do cálice e faça uma prece de agradecimento a todas as deidades invocadas.
Sente-se e fique em silêncio por alguns minutos. Apague a vela e deixe o incenso queimar até o fim.

Fonte: Alemdalenda

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

ELEMENTAIS!!


Elementais são seres etéreos (energéticos e espirituais) ligados aos princípios básicos da existência; TERRA , AR , FOGO e Água. Esses seres são como qualquer outro, possuem corpo, personalidade, desejos e características que os diferenciam.
Os ELEMENTAIS trabalham em todas as áreas e planos, sua freqüência energética se adapta a tudo, eles vivem dentro e fora de nós. Cada um deles também pode ser associado a sentimentos e ações distintas, que ao analisadas definem a personalidade do ELEMENTAL envolvido, por exemplo, uma Ondina (elemental da água) que vive em um lago calmo e límpido, possui um temperamento muito mais amável e harmônico que uma ondina que habite um lago poluído e fétido.
Ao longo dos anos cada ELEMENTAL ganhou uma mitologia e lendas próprias sobre suas diferentes atividades; Gnomos, Duendes, Fadas, Sereias, Dragões, Fantasmas...Quem nunca teve interesse em saber de onde essas “lendas” saíram? Ao estudar os elementais, muitas dessas dúvidas podem ser respondidas.
Uma coisa deve ficar clara, ELEMENTAIS são seres poderosos, com uma personalidade própria, o contato com eles é trabalhoso e requer conhecimento e dedicação, tentar evoca-los em RITUAIS sem que antes haja uma sintonia e contato prévio é algo perigoso, pois os ELEMENTAIS não são seres “bonzinhos e fofos”, são seres como qualquer outro, com sentimentos e que não aceitam brincadeiras ou intromissões em suas atividades por um simples capricho.

GNOMOS


Elementais são seres etéreos que desenvolvem atividades energéticas nos elementos básicos presentes na natureza. Falaremos agora sobre as características mais importantes dos ELEMENTAIS da TERRA e seus regentes.
Os ELEMENTAIS da TERRA são os Gnomos, são responsáveis pela solidificação de todos os corpos, não só de animais como também de objetos. Tudo que é sólido possui uma correspondência energética com os Gnomos. Suas oferendas são normalmente a TERRA bruta (areia, argila, cascalho), PEDRAS e plantas.
Apesar das plantas possuírem ligação com todos os elementais, elas são normalmente consagradas ao elemento terra, em razão de sua proximidade.
Os Gnomos agem nos terremotos e vulcões para equilibrar os distúrbios dos poderes da terra. Em nosso corpo são responsáveis pelos ossos e sais minerais e possuem ligação também com as cartilagens, músculos e pele, sendo que essa ligação ocorre em conjunto com os ELEMENTAIS da água.
Os Signos de Touro, Capricórnio e Virgem são aqueles que se encontram sob a interferência do poder da terra. Normalmente as pessoas nascidas sob essas casas zodiacais apresentam temperamentos fortes, não gostam de mudanças bruscas, são perfeccionistas em suas atividades, são muito realistas e possuem forte tendência a vícios, principalmente alimentícios.
Todas as características desses signos estão diretamente relacionadas às características dos ELEMENTAIS da terra, tais ELEMENTAIS são possuidores do dom de controle sobre a ganância e como conseqüência é comum perceber que seus regidos não possuem esse controle. E é através da busca desse controle que podemos interagir com eles.
Algumas outras características provocadas pelo desequilíbrio do poder da TERRA são: a preguiça, susceptibilidade, a lentidão, a falta de consciência, a melancolia, a falta de regularidade. Ao vencer essas dificuldades, a interação com os ELEMENTAIS da TERRA torna-se mais fácil, porém quanto mais se busca, mais é exigido.
Existem certas características que aproximam os elementais: atenção, a perseverança, a escrupulosidade, a sistematização, a sobriedade, a pontualidade, o senso de responsabilidade. Através dessas qualidades o adepto alcança uma maior interação com os Gnomos.
O ‘Rei’ dos Gnomos se chama GHOB, a visão pagã mostra que esse ser é o responsável pela manutenção dos poderes da terra, e por isso acredita-se que ele viva no interior de grandes vulcões. Alguns tendem a acreditar que ele seja “A Torre Norte” invocada nos RITUAIS da Wicca, mas dificilmente tal entidade sairia de seu lar para rituais, pois sua função não é essa.
O símbolo mais comum é o triangulo duplo para baixo, que representa a TERRA que preenche o universo. Sendo o triangulo maior o universo e o menor a TERRA que cobre todo o “chão”. O segundo símbolo é comum nas escolas herméticas, corresponde ao Prithivi (princípio da terra) dos Tattwas da tradição indiana. Além desses existem outros símbolos menos conhecidos.
Nas invocações ELEMENTAIS é comum chamar os poderes da TERRA com nomes do tipo: Touros da Alvorada, Carneiros do Alvorecer, Ursos Negros e afins. Dentro das invocações os dirigentes ELEMENTAIS também aparecem, seguidos dos mistérios dos Elohins/Manes que são os nomes das sendas e respectivas torres.
Alguns locais/objetos que representam a TERRA e seus ELEMENTAIS ao AR livre são: Grandes árvores, grandes pedras, pilhas de pedras, afloramentos rochosos, formações calcárias, musgos, entradas de cavernas, estátuas, jardins, plantações ou campos, pastagens de animais, tocas de animais e similares.
Alguns locais/objetos que representam a TERRA e seus ELEMENTAIS em residências: Plantas, portas para animais, portas de porão, despensa, decorações de cristais, coleções de vidro, coleções de cerâmica, estátuas, vasos de barro, pequenas pedras, pote com terra.
O princípio da TERRA e seus ELEMENTAIS são invocados da direção norte devido à representação do norte estar intimamente ligada ao futuro e àquilo que podemos enxergar ao olhar para frente. Pela força da TERRA representar tudo aquilo que é fixo, o norte fica sempre a nossa frente, pois é fixo, visível.
As cores da TERRA são o marrom e o verde. Os animais são todos aqueles de grande força, como ursos, touros, carneiros, rinocerontes, búfalos e etc. Os DEUSES que regem o elemento TERRA são todos os DEUSES da Agricultura, da proteção, da família e da inocência.
Alguns seres mitológicos que correspondem ao elemento da TERRA são: Minotauro, Ninfas dos bosques, Dríades, Anões (do ponto de vista mitológico), Faunos, Amazonas e todos aqueles que possuem responsabilidades com a TERRA e a vegetação. É importante lembrar que para os povos antigos a mitologia não era uma lenda ou um conto e sim a história real dos seres que viviam entre eles, incluindo os Deuses.
Dentro da WICCA o Pantáculo é o instrumento que representa a TERRA no altar. A força gerada pela TERRA é direcionada aos poderes físicos e de criação. A Psicometria é o dom mais comum daqueles que evoluem sua interação com os ELEMENTAIS da terra.
A estação que corresponde à atuação mais presente dos Gnomos é o Outono, e nos nossos sentidos eles regem o tato. Quando alcançamos a vibração da terra, ficamos em um estado de Paz e devoção.

SILFOS


No último discurso de Sócrates, tal como foi preservado no Fédon de Platão, o filósofo condenado à morte diz: - "acima da TERRA , existem seres vivendo em torno do ar, tal como nós vivemos em torno do mar, alguns em ilhas que o AR forma junto com o Continente; e numa palavra, o AR é usado por Eles, tal qual a ÁGUA e o mar são por nós, e o Éter é para nós.
Mais ainda, o temperamento das suas estações é tal, que Eles não têm doenças e vivem muito mais tempo do que nós, e têm visão e audição e todos os outros sentidos muito mais aguçados do que os nossos, no mesmo sentido que o AR é mais puro que a ÁGUA e o Éter do que o Ar.
Eles também têm seus templos e Lugares Sagrados, em que os DEUSES realmente vivem, e Eles escutam sua vozes e recebem suas respostas; são conscientes de sua presença e mantêm conversação com Eles, e Vêem o Sol, e vêem a Lua, e Vêem as Estrelas, tal como realmente são.
E todas suas bem-aventuranças, são desse gênero"... Eles são os mais altos de todos os ELEMENTAIS , o seu Elemento Nativo é o de mais alta taxa vibratória. É comum atingirem 1000 anos de idade, não envelhecem nunca. São os Silfos, que têm como líder um Silfo chamado Paralda, e vive na mais alta montanha da Terra.
Acredita-se que os Silfos reúnem-se em torno da mente dos sonhadores, dos artistas, dos poetas, e os inspiram com seu alto conhecimento das maravilhas e obras da Natureza. São de temperamento alegre, mutável e excêntrico. À eles, é atribuída a tarefa de modelar os flocos de neve e arrebanhar as nuvens, sempre desempenhando esta tarefa com a ajuda das Ondinas, que lhes fornecem a umidade.
SALAMANDRAS


O Terceiro grupo de Elementais, são representados pelos Salamandras, que vivem no Éter atenuado e ESPIRITUAL que é o Invisível Elemento Fogo. Sem elas, o FOGO material não existiria, um fósforo não pode ser aceso, e nem a pólvora explodiria.
O ser humano é incapaz de se comunicar adequadamente com as Salamandras, pois ela reduz a cinzas, tudo que delas se aproxima. Antigos místicos, preparavam INCENSOS especiais de ERVAS e perfumes, para que quando queimados, pudessem provocar um vapor especial, e assim formar nos seus rolos as figuras das Salamandras, sentindo assim a sua presença.
Muitas Salamandras são vistas em formas de bolas ou línguas de fogo, correndo através dos campos ou adentrando nas casas. No Brasil, chamam essas aparições, ou "fenômenos" de Fogo-Santileno".
A maioria dos místicos afirmam que as Salamandras são seres gigantes, imponentes, flamejantes em roupas fluídas, como se fosse uma armadura de fogo. São as mais poderosas dos ELEMENTAIS e tem como seu regente Djin.
Antigos sábios sempre foram advertidos para manter distância delas, pois os benefícios que seus estudos trariam, não seria proporcional, ao preço que se pagaria por eles. Possuem especial influência sobre os indivíduos de temperamento ígneo e tempestuoso.
Tanto nos animais, quanto no homem, as Salamandras trabalham através do emocional, por meio de calor corpóreo, do fígado e da corrente sangüínea. Sem a sua assistência, não haveria calor.
ONDINAS


Assim como os Gnomos tem suas funções limitadas junto aos Elementos da Terra, os ELEMENTAIS da ÁGUA - as Ondinas - atuam na Essência Invisível e ESPIRITUAL , - O Éter Úmido - A beleza é uma característica comum aos ELEMENTAIS da Água. São sempre cheios de graça, simetria, onde quer que sejam encontradas, representadas na arte, em esculturas.
O Elemento Água, que sempre foi identificado como sendo um símbolo feminino, é muito natural que os ELEMENTAIS da ÁGUA sejam simbolizados como fêmeas. As Ondinas, estão sub-divididas em vários grupos, algumas habitam as Cataratas, Mares, onde podem ser vistas entre os vapores, outras habitam os Pântanos, Brejos e Charcos, outras ainda habitam em Lagos de Montanhas.
De um modo geral, quase na totalidade, as Ondinas são muito parecidas com seres humanos, tanto na sua forma, como tamanho - as que habitam os Rios e Fontes, tem proporções menores - Normalmente vivem em Cavernas de Corais, nos Juncais, às margens dos Rios ou das Praias. As Ondinas, servem e amam sua Rainha, Necksa.
Elas são antes de tudo, seres emocionados, amigáveis com os humanos, à quem gostam de servirem. Muitas vezes, são representadas cavalgado em Golfinhos e em outros grandes Peixes, essas Sereias tem um AMOR muito grande pelas flores e plantas, às quais servem de maneira devotada e inteligente quanto aos Gnomos. Antigos poetas diziam que o canto das Ondinas "O Canto das Sereias" eram ouvidos no vento Oeste, e que suas vidas, eram consagradas à beleza da TERRA Material.

A lua crescente

LUA CRESCENTE!!
A lua crescente representa um momento muito importante dentro dos esbbaths, o amadurecimento das idéias, dos objetivos, e do próprio conhecimento. Na Lua Negra transformamos, na Nova criamos e na crescente colocamos em prática nossos objetivos.
Nesse momento a Deusa transita entre sua face jovem à sua face mãe e senhora, ela realmente está crescendo e amadurecendo, é um bom momento para despertar novas sensibilidades e para verificar o andamento de toda a sua vida.
Abaixo, por tópicos, colocarei informações detalhadas sobre o funcionamento básico de um Esbbath junto com dicas úteis para que possam montar os seus. Além disso, falarei das lendas, supertições e histórias/relatos das práticas desse Esbbath.

LIMPEZA, PURIFICAÇÃO, DECORAÇÃO E SINTONIZAÇÃO.

Para entender e aprender todo o processo de LIMPEZA e purificação necessário ao bom funcionamento de qualquer celebração leia Ritual de Purificação.

O RITUAL de purificação é o mais comum e amplo dos ritos da WICCA e existem várias formas de trabalha-lo. Esse rito, além de trazer mais leveza e tranqüilidade para o lar, leva a um autoconhecimento de suas capacidades energéticas de forma extraordinária.
A recomendação a qualquer iniciante nos caminhos da WICCA é: Pratique primeiro os Sabbaths, os Esbbaths e os Ritos de Purificação, antes de aventurar-se em outras áreas mágickas. As razões são simples, através das atividades de purificação você aprende a controlar e manipular melhor tanto as suas energias como a dos ambientes em que vive. Nos sabbaths e esbbaths você passa a vivenciar a Wicca, interage com DEUSES e demais seres etéreos, aprende os funcionamentos básicos das ritualísticas da religião e ganha além de conhecimento, o amadurecimento e a seriedade necessária para trabalhar em outras áreas da Magia.
Falarei do RITUAL de purificação de forma completa, ensinando maneiras de melhorar a organização, limpeza, e equilíbrio energético. Ensinarei como tornar o ambiente e nós mesmos mais leves e tranqüilos. Após esse ritual, todo e qualquer local está apto a receber cerimônias, pois se encontra Harmônio e equilibrado.

ENTENDENDO AS ENERGIAS
Olhe a sua volta, o local onde você está é agradável? É onde você realmente gostaria de estar? Ou melhor, a LIMPEZA e organização estão da maneira que deseja? É muito importante saber que o seu exterior (ambientes onde vive mais tempo) reflete como anda o seu interior e possui grande influência sobre você.
Normalmente quando entramos em um local escuro, sujo, abafado ou desorganizado, ficamos cansados e irritados, isso mostra a influência do ambiente sobre o nosso comportamento e humor, ou seja, sobre nossas energias.
Energeticamente falando, tudo que acontece em um local gera pequenas ondas que são absorvidas pelas estruturas do local e ficam registradas. Paredes, teto, piso, objetos, animais, plantas, pessoas, todos são influenciados e registram as energias desprendidas com as ações e acontecimentos. Quando algo grave ou muito importante acontece (como uma forte briga) o “fluído extra” desprendido com a ação fica registrado com maior intensidade, por isso os Antigos diziam: “Se quer brigar, que seja fora de casa!”.
Essas “sobras” energéticas normalmente ficam acumuladas em locais de difícil acesso, onde raramente as energias são “movimentadas” e lá acabam se fixando e aumentando cada vez mais, como se fossem um grande acumulo de poeira.
Cantos de paredes, debaixo da cama, armários escuros, velhos ou pouco utilizados, quartos de bagulhos, porões, baús e tantos outros. São muitos os locais onde “algo” poderia parar e se fixar sem que percebêssemos. O interessante é que normalmente as crianças e os animais não gostam desses locais. Tirando os gatos é claro...rs.
O ambiente físico só fica bom, limpo e organizado se o ambiente astral também estiver, e vice versa. Logo vamos começar a trabalhar para que nossos “lares astrais” não pareçam “pulgueiros” com energias tão estagnadas que formam uma crosta nojenta e pegajosa de energia. Mãos a Obra!

PRIMIERO PASSO - FAXINA

Energia saudável é energia em movimento! Tenha sempre essa frase em mente. Para iniciar qualquer atividade de purificação energética, precisamos desprender as energias dos cômodos de nossa residência.
Muitas pessoas afirmam não ter ânimo para uma boa faxina, isso ocorre porque elas estão pressas nas teias desse agregado energético presente nas coisas velhas e desorganizadas. A eliminação desses “laços” permite uma profunda reciclagem mental que favorece potencialmente a eliminação de desequilíbrios interiores.
“Assim como acima é abaixo, como é dentro é fora” tal axioma demonstra como a eliminação da bagunça exterior favorece o trabalho interior. Vamos a 3 orientações para executar uma boa faxina:

• Comece com uma organização simples, ponha tudo que está no local errado em seu devido lugar e limpe a casa normalmente. Não precisa se matar limpando cada cantinho tenha calma, não se sobrecarregue. Primeiro organize e limpe superficialmente.

• Agora escolha um cômodo, veja tudo que você pode mudar de posição (um livro de FENG SHUI sempre ajuda nessas horas), analise dos objetos que estão visíveis quais estão velhos, quebrados ou por algum motivo não combinam ou agradam você. Jogue os quebrados fora. Valor sentimental? Bom você vai viver sua vida inteira com aquele objeto quebrado e velho? É provável que um dia você o esqueça num canto e o perca, como já deve ter feito com várias outras quinquilharias, não é? Então é melhor deixar de gastar suas energias com ele logo, pois é apenas pra isso que ele serve: Gastar suas energias. Os objetos velhos devem ter o mesmo fim, entretanto se estiverem bem conservados podem ser doados ou vendidos.

Para facilitar pegue cada objeto e pergunte: “Vale a pena doar minhas energias para esse item? Ele me alegra ou tem alguma função para o meu humor? Ele realmente é essencial?”, se obtiver respostas negativas jogue fora, venda ou doe o item e nunca volte atrás em sua decisão, afinal você é um(a) Bruxo(a). Faça toda essa LIMPEZA e eliminação cômodo por cômodo até organizar tudo que é visível ao entrar em cada um.
• Agora começa a faxina mais profunda, superficialmente e visivelmente seus cômodos estão limpos e organizados, isso te dará ânimo extra. Separe alguns dias para limpar e organizar um cômodo por vez, não se sobrecarregue. Limpe gaveta por gaveta, armário por armário, organize, sacuda, olhe para cada coisa (roupa, utensílio...) e faça as perguntas. No quesito roupas, aquelas que você não usa a mais de um ano (tirando as roupas de frio) devem ser doadas ou vendidas, tenha em mente que você pode comprar, pedir emprestado ou alugar algo que precise. Não é necessário ficar com um armário cheio de roupas se você não usa mais da metade há anos. Troque, recicle! Energia em movimento lembra!? Além disso, você vai ganhar espaço, talvez um dinheirinho com a venda, e vai ganhar energia, pois tudo que possuímos absorve nossas energias, coisas que não usamos há muito tempo só estão servindo para nos deixar mais cansados e esgotados, já que não possuem nenhuma outra utilidade. Um bom bruxo(a) sabe que tudo a sua volta precisa estar em constante movimento, pois isso lhe dá força e controle sobre suas energias.

Tendo executado esses 3 pontos por todos os locais, sua casa está completamente organizada e renovada, cada cômodo está mais aconchegante e perfumado, mantenha-os sempre assim e caso perceba alguns tipo de desorganização faça esse trabalho novamente. Quando moramos com outras pessoas é importante pedir que ao menos essa parte física seja feita em toda a residência, pois isso fará um bem não só do ponto de vista energético mais também na saúde e bem estar de todos os moradores.

A Decoração do Esbbath de lua crescente é muito individual, sua cor, normalmente é o verde ou o amarelo, cores ligadas a crescimento e abundância, porém você pode incluir outros tons da forma que desejar.Você deve espalhar por todo o local símbolos, imagens ou objetos que lembrem tudo aquilo que você deseja por em prática e fazer prosperar e crescer, seus projetos, coisas do trabalho, desenhos dos objetivos, fotos da família e do parceiro(a). A decoração deve auxiliar em suas reflexões e no envio de suas energias para esse projeto.
A Sintonização corresponde a uns 15 minutos que você deve dedicar ao ambiente onde ocorrerá a celebração. Respire fundo sinta os cheiros, pare para ouvir os sons do local, olhe a sua volta e veja onde está, tente sentir a energia do lugar. Caso seja um lugar com uma história bonita reflita um pouco sobre essa história, tente entender porque você foi celebrar ali, ande por todo o local, interaja com a energia emanada por esse ambiente. Faça tudo isso em silêncio, respirando fundo, e preparando todo o seu corpo para o Esbbath que está sendo iniciado.

ABERTURA DO CÍRCULO E INVOCAÇÕES.

Como já era de se esperar a abertura do círculo e as invocações seguem sempre um padrão o qual vocês podem encontrar em Círculo Sagrado, apenas as invocações dos DEUSES é que mudam.
Cada esbbath corresponde a um aspecto das divindades, a Lua Crescente corresponde as Faces ligadas a fartura e ao crescimento, alguns exemplos dessas faces são: Pan, Hera, Danu, e vários outros que vocês podem encontrar .

Deuses, seres com os quais buscamos o “religare”...

Na WICCA , o envolvimento com os DEUSES ocorre de uma forma muito distinta e harmônica. Para nós os DEUSES nao sao intocáveis, distantes, ou castradores, pelo contrário, eles sao como nós, interagem conosco em todos os campos de nossa vida, conhecem o nosso lado sombras e o nosso lado luz e nos auxiliam a manter o equilíbrio de ambos, sem julgamentos ou condenaçoes, o que acontece é que cada ato tem um peso, e esse peso pode ser bom ou nao para o convívio com os Deuses.
Nós nao tememos os Deuses, nós apenas os respeitamos, nós possuímos cada divindade dentro e fora de nós, por isso, o respeito que temos pelos DEUSES deve ser o mesmo que temos por nossos irmaos. Uma característica marcante dos Wiccanos é sua forma de interagir com os Deuses, nós nao ajoelhamos para falar com eles, nós nao abaixamos a cabeça, ou temos qualquer atitude de submissao, pois nao há necessidade, eles sao nossos pais, criadores, irmaos, amigos, eles sao cada um de nós e o AMOR que temos por eles nos dá total consciencia que o respeito está exatamente em amá-los e cultua-los como parte de nós. Mas uma coisa deve ficar clara, os DEUSES nao sao sempre amáveis e “bonzinhos”, eles fazem o que tem de ser feito, e se os desrespeitarmos iremos sofrer conseqüencias por tais atos, um bom exemplo é invoca-los em um RITUAL por pura brincadeira e sem uma devida necessidade. Outra coisa a ser dita é: “Cuidado com o que voce pede aos Deuses, pois eles podem atender...”. Logo, estudem e conheçam os DEUSES internamente antes de busca-los externamente

Na simbologia do Esbbath, nesse momento a Deusa é donzela, já amadurecida e crescendo. Os adolescentes, e demais animais em crescimento são abençoados pela Deusa. Sendo assim, é normal enviar bênçãos aos JOVENS que acabaram de entrar na puberdade e estão se tornando homens e mulheres maduros, assim como abençoar os animais que já se tornaram férteis e estão concluindo seu crescimento, as plantas também não devem ser esquecidas e deve-se celebrar com bênçãos todas aquelas que vingaram e estão crescendo.
Apenas após estudar, conhecer e se sintonizar com divindade é que estamos aptos para chamá-la em um RITUAL , com isso depois de trabalhar com a face do seu panteão você deve criar sua forma de invocar tal divindade, pois já saberá como.

MEDITAÇÕES

As meditações são direcionadas ao crescimento de projetos, a abundância e seqüência de nossos objetivos. Imagine que você deseja ter um bom rendimento financeiro ou um crescimento no seu contato e união com a família, nesse momento de lua crescente você deve meditar sobre quais são as atitudes e posturas que deve tomar para que tudo possa crescer e prosperar, e deve por em prática tudo isso.

Essa meditação também deve possuir uma reflexão para nossas mudanças internas, devemos verificar o que foi criado no sabbath passado e colocar tudo para prosperar, devemos guiar o crescimento de nossos sentimentos e gerar uma harmonia, para que nada cresça além do devido.

Podemos meditar sobre lendas ou histórias de fertilidade, de crescimento, de abundância. Seja as vitórias dos Deuses, o crescimento das cidades, a nosso próprio amadurecimento e etc. Como foi o nosso crescimento? Quem estava presente na nossa puberdade? Como lidamos com isso? O que aprendemos e levamos até hoje no nosso amadurecimento como pessoas? Como nós fortalecemos nossos projetos, realizamos nossos sonhos de criança, ou criamos outros? Tudo que representa crescimento e expansão pode ser analisado.

Ritual para os 4 elementos

Ritual para os 4 elementos


Sempre que quiser realizar algum desejo ou harmonizar seu lar faça um pequeno altar em homenagem aos elementos

Para as Salamandras ascenda uma vela;

Para os Silfos ascenda um incenso;

Para os gnomos coloque uma pedra;

Para as Sereias água com essência.

Depois faça a seguinte oração:

Em nome do amor e da Magia que eu realize sem demora o que mais desejo agora

Em nome da água que a tudo permeia da terra que à tudo dá forma do ar que à tudo clareia do fogo que à tudo transforma.

domingo, 12 de setembro de 2010

Ritos

                                                                        Ritos

DEZ PASSOS PARA CONTATAR OS ANJOS.

1. ABRA ESPAÇO PARA OS ANJOS EM SUA VIDA
Isso significa: para que os anjos se sintam à vontade perto de você, seu mundo, seus pensamentos, seus sentimentos devem se tornar semelhantes ao deles.

2. FAÇA SUAS ORAÇÕES EM VOZ ALTA
A sua resposta será muito mais poderosa se você fizer seus pedidos aos anjos em voz alta. É o uso do poder da palavra que poderá fazer mudanças positivas em sua vida.

3. USE O NOME DE DEUS
Para tudo que queremos conseguir devemos invocar o nome de Deus, porque não somos nós que realizamos mas Deus em nós é Quem realiza.

4. FAÇA DIARIAMENTE AS SUAS ORAÇÕES E DECRETOS
A melhor maneira de conseguir com que os anjos nos ouçam é sintonizarmo-nos com eles, e nada melhor do que o hábito diário da oração para entrarmos na sua sintonia.

5. PEÇA AJUDA
Os anjos respeitam a lei do livre arbítrio, sem que peçamos sua ajuda, eles não nos ajudarão.

6. REPITA OS DECRETOS E ORAÇÕES
As orações e decretos são mais poderosos quando feitos repetidamente. A maioria das grandes religiões aplica este conhecimento.

7. ENVIE SUA ORAÇÃO PARA O ENDEREÇO CORRETO
Faça seus pedidos ao arcanjo que comanda os anjos especializados no assunto a que se refere o seu pedido.

8. SEJA ESPECíFICO
Os anjos respondem aos seus chamados com precisão, e orgulham-se disso. Quanto mais específico for o pedido, mais específica será a resposta.

9. VISUALIZE AQUILO QUE DESEJA
Você pode aumentar o poder da sua oração fazendo uma imagem mental nítida do que deseja. E visualize a situação envolvendo-a em luz, muita luz.

10. ESPERE ALGUMAS SURPRESAS
Os Anjos não podem interferir com o plano de Deus para sua alma. Com suas orações e pedidos podem vir respostas inesperadas, de acordo com o seu plano divino de vida.

NOTA: Os dez passos para contatar os anjos são extraídos do livro de ELZABETH CLARE PROPHET mensageira dos mestres e de Saint Germain, na Summit Light House.

Ensinamentos

Ensinamentos

Devas

A palavra "Deva", vem do sânscrito e significa: "Ser Luminoso"; "Aquele que brilha".

Os devas constituem uma parte do exército cósmico que acompanhou o homem na sua descida à terra. Eles não são seres humanos que se movimentam em outra dimensão, são de matéria diferente e foram criados por Deus para servir à humanidade e evoluírem através desse trabalho. Manifestam-se em formas variadas: arcanjos, anjos, sílfides, salamandras, gnomos, serafins, querubins, fadas, ondinas, etc. Devas existem em uma dimensão na qual os 5 sentidos dos humanos, normalmente não percebem, a não ser em circunstâncias especiais.
A diferença crucial entre a vida dévica e a atômica está na consciência. Os corpos etéricos dos devas são pura luz, portanto de uma energia muito fluídica que possui grande propriedade de expansão e de contração. A freqüência do campo de consciência eletro magnético do qual o corpo dévico é feito depende do estágio de evolução e do propósito de existência de um deva.
Existem graus de evolução diferentes para os devas assim como para os homens. Alguns têm um desenvolvimento análogo ao de um mestre e com eles trabalham. devas são inocentes e carinhosos.
Elementais
Os elementais da terra são os gnomos.
Os elementais do ar são as sílfides.
Os elementais do fogo são as salamandras.
Os elementais da água são as ondinas.

Arcanjos

Na hierarquia dos anjos existem muitos arcanjos, dentre os quais os sete mais conhecidos são: Miguel, Jofiel, Chamuel, Gabriel, Rafael, Uriel, Zaquiel. Eles, juntamente com a arquéia, seu complemento feminino, mais as legiões sob seu comando têm sob sua responsabilidade sustentar o foco dos sete raios de Deus nos quatro corpos inferiores do homem: físico, emocional, mental e etérico.
Arcanjo Miguel – O seu nome significa: o que é Um com Deus. Ele é o maior e mais reputado dos anjos nas Escrituras Sagradas, na tradição judaica, cristã e islâmica. Na tradição judaica ele surge como o Capitão das Hostes do Senhor, Príncipe dos Arcanjos, o Defensor da Fé. No Antigo Testamento ele surge como o anjo que lutou com Jacó, o que conduziu os filhos de Israel através do deserto, quem destruiu o exército de Senaqueribe e o anjo que salvou os três jovens judeus da fornalha de Nabucodonosor. Em Apocalípse (12-7,8,9) Miguel e seus anjos vencem o dragão que é expulso do céu.
Nos manuscritos do Mar Morto, Miguel aparece como o “poderoso anjo ministrante” através de quem Deus promete enviar auxílio eterno aos Filhos da Luz.
Para os maometanos Miguel é o Anjo da Natureza que dá o conhecimento e fornece o alimento ao homem.
Na crença popular Arcanjo Miguel comanda as hostes da proteção contra os perigos, as forças do mal e os inimigos, dando poder e proteção aos seus devotos.
Arcanjo Gabriel – Significa ”Homem de Deus”, sua figura refulge no Evangelho, como o mensageiro do maior evento da história da cristandade, a Encarnação do Verbo no seio puríssimo da Virgem Maria. Em São Lucas (1,26-38) esta passagem é relatada divinamente:.”e entrando o anjo onde ela estava, disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo, bendita és tu entre as mulheres...” e prossegue o diálogo de beleza extraordinária ``...O Espírito Santo descerá sobre ti e a força do Altíssimo te envolverá com sua sombra. Por isso o Santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus”. O diálogo se encerra com as palavras de Maria:” Eis aqui, a serva do Senhor, cumpra-se em mim, segundo a sua palavra”.
No livro de Daniel, Antigo Testamento, Gabriel ajuda o profeta a compreender suas visões dando-lhe sabedoria e compreensão. Segundo a tradição, Gabriel e seus anjos, são os mensageiros das boas notícias, nos ajudam a dar bom rumo e direção à nossa vida, nos dão compreensão e sabedoria. É a ele que recorremos quando necessitamos desses dons.

Arcanjo Raphael – Significa “Deus Curou”, é pois o arcanjo da cura. Ele e suas hostes, ajudam na cura de doentes do corpo e da alma, quando invocados. A tradição bíblica reconhece Raphael como um dos sete espíritos que assistem ao trono de Deus. Na Bíblia, porém Raphael é citado somente uma vez, no Livro de Tobias, que fora enviado pelo pai a fazer uma longa e perigosa viagem. Essa narração contém lindos ensinamentos morais, nela Deus atuando através de Raphael, restitui a vista ao piedoso Tobias.
Os textos judeus dizem que Raphael revelou a Noé o poder curativo das plantas; Raphael aprisionou o demônio, e segundo os católicos, o anjo curou o doente no tanque de Bethesda. No livro de Enoch se afirma que Arcanjo Raphael cura as feridas e doenças dos homens.
Anjos
Os anjos nossos servos celestiais, são os intermediários entre o homem e a divindade suprema.
Como tal, eles desempenham inúmeras funções: guardiões, mestres, guias, enfermagens, etc.
Anjos da cura
Temos um gigantesco exército de anjos da cura à nossa disposição, esperando serem chamados. Essa ajuda angélica está disponível em qualquer situação.
Anjos da cidade
Os anjos das cidades têm experiência nas diferentes facetas de especialidades de trabalho existentes em uma cidade. Eles asseguram o fluir do prana pela manhã e nas horas do entardecer, para que as plantas e devas das plantas conservem-se vibrantes apesar da poluição e vibrações caóticas.
Anjos do lar
Os anjos do lar propiciam uma atmosfera harmonizada e protegem o lar. Eles amam a limpeza, a ordem, a beleza das flores e das plantas, assim, podemos fazer um esforço consciente para atrairmos e mantermos a presença do anjo do lar.

Elementos da Natureza

ELEMENTOS DA NATUREZA!!

Habitantes do mundo invisível aos olhos humanos que vivem num mundo e universo próprios, com suas leis, filosofia, objetivos, modo de vida totalmente particular. São como espíritos que possuem ligação direta com os elementos da natureza. Essas criaturas são por isso chamadas de espíritos da natureza uma vez que é nela que vivem estando em contato permanente com a fauna e flora, as quais têm a missão de defender
Paracelso, alquimista e filósofo suíço foi o primeiro a realizar uma descrição mais apurada desses espíritos. Dizia que eram seres de carne e osso, mas o chamava também de “composta”, afirmando que eles seriam uma espécie de misto entre espírito e matéria. Sua definição de seres elementais, se deriva do princípio de que os quatro elementos da natureza descritos na antiguidade, Terra, Água, Ar e Fogo, possuíam, em verdade, duas naturezas, a física, ou seja a natureza passível de avaliação pelos sentidos, e outra, a espiritual, relativa à essência dos elementos. Assim, por exemplo, afirmar que a salamandra se constitui como sendo o espírito do fogo, significa dizer também que ela é necessária e essencial para sua existência, pois o fogo do mundo físico é estimulado pela existência espiritual do fogo. Se Paracelso acreditava que os elementais movimentavam-se apenas dentro do elemento ao qual pertenciam, privando-se do contato com os habitantes dos demais elementos, tal posição não era aceita por alguns dos estudiosos da época, bem como de épocas seguintes. Para estes, os elementais são seres que, independentemente dos elementos aos quais estão ligados, vivem em total interação uns com os outros não significando contudo, que coexistam pacificamente em perfeita harmonia: entre eles pode ocorrer brigas e desavenças chegando até mesmo ao ponto de se desencadearem guerras.
Além dos gnomos , fadas e fantasmas , que serão tratados separadamente, há muitos outros tipos de seres elementais: goblins, trolls, espíritos das águas, ninfas da floresta ninfas da montanha uldras elfos, duendes, dragões, salamandras, silfos, ninfas, etecétera.
Os elfos são divindades aéreas da mitologia escandinava, outras criaturas do crepúsculo e da noite. Embora sejam seres capazes de voar, são seres originários da terra e das águas. São entidades maléficas, pequenos demônios que provocam pavores da morte, pois atraem os humanos a participarem de suas danças noturnas para, em seguida levá-los ao óbito.
Os goblins são às vezes confundidos com os gnomos e muitas vezes, em inglês a palavra é traduzida como goblin, que designa também “duende” ou “diabrete”. Provavelmente, goblin ou gobelin deriva do vocábulo gob, nome que indica o nome próprio do rei dos gnomos. Os trolls são também denominados ogros. Vivem na Noruega, Suécia, Finlândia, Rússia e Sibéria. Seres primitivos e rudes, associadas ao mal e a atividades pérfidas: são os mais grosseiros do mundo invisível. São incrivelmente feios, absurdamente fortes, seu nariz é muito grande, cheiram mal e além disso ainda têm cauda. Dedicam horas em seu passatempo favorito que é o de ficar remexendo jóias e moedas roubadas, as quais costumam guardar dentro de uma caixa velha e suja. Os dragões são seres gigantescos, que têm forma semelhante a uma serpente, chegando a atingir o tamanho de uma baleia. Possui enormes patas dotadas de garras envenenadas, têm asas, um rabo em forma de arma, e são capazes de exalar fumaça e fogo pela boca e ventas.
São considerados seres malvados e simbolicamente depositários do conhecimento do universo. A salamandra, associada com o fogo é descrita como um lagarto, embora Paracelso as descrevesse como bolas ou línguas de fogo. Os espíritos das águas podem ser as ondinas, que residem em cursos de água como cataratas, lagos e pântanos e as sereias, as nereidas ou oceânidas, que vivem no mar. Os silfos são seres que assumem a aparência humana e vivem no alto das montanhas. Associados ao elemento ar, relacionam-se com a inspiração dos poetas, artistas e todos que lidam com as criações de forma geral. Há ainda os uldras, criaturas subterrâneas que são encontradas apenas na Lapônia. Se assemelham aos gnomos, embora sejam um pouco maiores e um pouco pálidos. Vivem em grandes grupos familiares ou em tribos e exercem enorme autoridade sobre os animais de grande porte, tais como o urso, o lobo, o alce e a rena que os obedecem cegamente. São bastante cordiais e absolutamente cegos quando expostos à luz. Se maltratados pelos humanos, vingam-se provocando desordens e desastres.
Simbolicamente representam o ser invisível dotados da capacidade de tornar visível os objetos invisíveis por intermédio da inspiração intuição, imaginação e sonho. Os Elementais são como a alma oculta das coisas, sejam elas orgânicas ou não, de forma que quando eles se retiram as mesmas coisas morrem ou ficam inertes.

Fadas e Gnomos

                                                                          FADAS
Fadas são elementais do ar que tem a função proteger as flores. O Termo fada se originou do Latim "Fata", plural de "Fatum", que significa
destino, isso de deve ao fato das fadas governarem o destino.
São alegres, ativas e temperamentais.
Fisicamente leves e pequenas, quando voam irradiam um brilho luminoso de pura energia.
O reino das fadas é governado pela rainha Titania e pelo rei Oberon.
Os melhores lugares para entrar em contato com estes seres são à beira do mar, ilhas,lugares iluminados de bosques e matos. O melhores horários são às 12:00, 24:00, ao amanhecer, quando tem lua cheia ou lua nova e noites iluminadas pelas estrelas

GNOMOS
Os Gnomos são elementais da terra que tem a
função de guardar os mineirais. A palavra Gnomo deriva do grego Gnome e significa habitante do interior da terra.
Eles constituem família com as Gnomidas
(mulheres dos gnomos) e vivem em comunidade
em rochas, em baixo da terra e em árvores. São
governados por um rei chamado Gob (com o
poder de entrar em contato com os magos
humanos), seus súditos são chamados Gobelinos.
Os gnomos passam a maior parte do tempo
comendo, suas comidas favoritas são amora
silvestre, morango, cereja, groselha e salada de frutas.
Não são muito amigáveis ao ser humano, mas pode-se ganhar sua confiança. A melhor forma de entrar em contato com eles é à tarde, em contato com a terra (de pés descalços) e com insenso de capim cheiroso,canela e frutas vermelhas.

sábado, 11 de setembro de 2010

LENDA DOS GNOMOS E ANÕES

LENDA DOS GNOMOS E ANÕES
Na origem do mundo, segundo as lendas nórdicas reunidas em a "Edda", quando os deuses, os "Ases", desmembraram o corpo do grande gigante Ymir para fazer com ele o céu, a terra, as nuvens, os bosques e os oceanos, quatro anões foram dispostos nos quatro cantos do firmamento para sustentar a cúpula celeste durante todo o tempo que durar o universo.

O anões, assim como os elfos, tiveram origem nos vermes formigantes do cadáver em decomposição de Ymir e a maioria deles foi morar nas profundezas da terra, em Niflheim, a Morada dos Mortos e também em Svartalfaheim, o reino dos elfos negros que haviam abdicado da luz do sol e jamais abandonariam suas tenebrosas moradas subterrâneas. Esses anões originais eram ferreiros dos deuses, que possuíam a habilidade de fabricar ferramentas mágicas e armas invencíveis.
Para alcançar a sombria morada dos anões era necessário passar por cima de Bifrost, a ponte do arco-íris que unia Niflheim, o Reino dos Anões, Midgard, a terra, o "Reino Médio", e Asgard, o céu, a Cidadela Divina. Raro eram os que se aventuravam por este ponte multicolorida, cuja cor vermelha correspondia a barreira intransponível de um fogo ardente, que evitava que os gigantes das montanhas chegassem ao céu. Somente Loki, o deus do fogo, era um hóspede freqüente desse pequeno povo. Entretanto, Loki era astuto e pérfido e constantemente punha os deuses nas maiores dificuldades, tanto que era chamado de o "caluniador dos Ases".
Com a giganta Angrboda "a que anuncia a desgraça", Loki teve três filhos: um lobo monstro chamado Fenrir, a serpente Midgard, que vive no mar que rodeia a terra e Hel, a guardiã da morada dos mortos situada em Niflheim. Os deuses Ases, a princípio, acolheram o lobo em sua casa e o alimentaram. Entretanto, o lobo cresceu tanto em força e tamanho e umas profecias anunciavam que um dia devoraria o mundo com seus dentes de ferro. Por isso, os deuses decidiram amarrá-lo a fim de reduzir sua capacidade de destruição. Confeccionaram uma forte atadura, que se rompeu logo que o lobo foi envolvida nela. Então foi forjada uma segunda, que novamente não foi suficiente para imobilizar Fenrir. Os Ases começaram a se desesperar, pois não achavam possível dominar o lobo, cujo vigor só aumentava. Tiveram então a sábia idéia de recorrer aos anões, cuja a arte e habilidade associada a magia os tornavam insuperáveis. Eles, que sempre sofriam depreciação por causa de sua pequena estatura e feio aspecto, trataram de agradar os deuses e forjaram uma atadura mágica que chamaram de Gleipnir. Dizia-se que a Gleipnir foi criada com a utilização de seis ingredientes: o ruído do passo dos gatos, a barba das mulheres, as raízes das montanhas, os tendões dos ossos, o alento do peixe e a saliva dos pássaros. Esses ingredientes eram tão raros e impalpáveis como poderosos, pois sabemos que as mulheres não têm barba, o passo do gato não provoca ruído e não há raízes debaixo das montanhas.
A atadura mágica era lisa e flexível como uma cinta de seda, mas com uma solidez a toda prova e conseguiu prender o imenso e raivoso lobo Fenrir.
A lenda dos gnomos foi introduzida na Europa no princípio do século XVI por autores como Pico de la Mirándola, Marsilio Ficino, Paracelso, Jerônimo Cardam e Reuchlin.

DESAPARECIMENTO DOS ANÕES E GNOMOS
Todos os relatos consagrados aos anões e os gnomos recordam seu desaparecimento progressivo ao longo dos séculos. O poeta alemão Heinrich Heine contava a história desse exílio, tal como havia lido em uma compilação de lendas tradicionais:

"No condado de Hohenstein, entre Walkenried e Neuhof possuíam um de seus reinos. Um dia, um habitante desse país, notou que haviam roubado sua plantação sem que pudesse descobrir o autor do tal roubo. Acabou por escutar o conselho de uma "mulher sábia". No crepúsculo, o camponês foi passear ao longo de seu campo, golpeando as plantas com uma varinha comprida. No primeiro golpe, viu ele logo adiante vários anões; a vara havia feito cair os gorros que os tornavam invisíveis. Os anões assustados, acabaram confessando que foi seu povo que teria despojado o campo, mas que haviam praticado tal ato em vista da total miséria em que se encontravam.

A notícia da captura dos anões desatou rumores em toda a comarca. O pequeno povo enviou representantes e ofereceu um resgate pelos irmãos que haviam sido presos pelos humanos. Uma vez realizada a troca, os anões prometeram abandonar a região para sempre. Entretanto, quando se tratou de organizar a partida, deu-se lugar para longas discussões. Os camponeses não que os anões partissem com seus tesouros, mas por outro lado, os anões não queriam ser vistos. Acabaram por entender-se. Acordou-se que os emigrantes passariam por uma ponte estreita, perto de Neuhof, e cada um jogaria, em um tonel destinado para tal fim, uma determinada parte de sua fortuna, sem que nenhum camponês tivesse direito de se aproximar do lugar. E, acordo feito, acordo cumprido. Entretanto, alguns curiosos se esconderam debaixo da ponte. Durante longas horas ouviram as pisadas dos homenzinhos. Parecia que um interminável rebanho de ovelhas passava por suas cabeças."

E foi assim, que o Pequeno Povo foi expulso daquela região, que com sua partida, perdeu o encanto, que sem a presença benévola dos anões, tornou-se para sempre apagada e sem vida.

Na Europa, os anões e os gnomos são uma etnia muito antiga que está em vias de extinção. Já aqui no Brasil, com seu vasto território de florestas e campos, é o habitat perfeito para viverem e se multiplicarem. Nosso povo ainda tem pouco conhecimento de sua presença e quando se tornam visíveis, são na maioria das vezes confundidos com extraterrestres.

Nossa civilização atual é um parte culpada pela perda quase total do contato com esse Povo Pequeno, pois nos tornamos demasiadamente racionais e cremos tão somente na ciência que nos levou a desacreditar nesses personagens da natureza. Infelizmente, o homem moderno perdeu o sentido do mistério e o gosto pela magia. De tanto querer explicá-lo e controlá-lo, nos deixou aleijados de nossa própria infância.

Os nomes e os rostos do Povo Pequeno, sempre foi para o homem de grande ajuda para dar nome aos seus medos e identificar seus sentimentos. Ao temer a dança das fadas, ao invocar a ajuda dos gnomos e anões, recorrer a proteção dos duendes e elfos, o homem não fazia outra coisa do que projetar no exterior de si mesmo os sentimentos que o asfixiava.

Os contos e lendas dos anões e gnomos são os últimos vestígios da Idade do Ouro, aquele tempo mítico que os homens compreendiam a linguagem dos pássaros e as portas do Mundo das Fadas estavam completamente abertas.

Entretanto, se ainda quisermos não morrer asfixiados nesse mundo de desencantos, devemos aprender a nos reconciliar com a parte de nós mesmos que há muitos séculos deram origem ao mundo das fadas. Somos e sempre seremos criaturas sonhadoras e portanto, tão imaginários quanto os gnomos, duendes ou os anões. Somos todos feitos de uma mesma "massa" que cresce graças ao fermento do espírito e da levedura da imaginação.

Deixe-se sonhar, pois sonhar é preciso!

GNOMOS

GNOMOS
Gênios de pequeno tamanho, que, segundo a Cabala, habitariam debaixo da terra e seriam donos dos tesouros de pedras e metais preciosos. A lenda dos gnomos passou do Oriente para a Escandinávia e para a América Central. Simbolizariam o ser invisível, que, por inspiração, intuição, imaginação e sonho, faz visíveis os objetos invisíveis. Na alma do homem eles são como que lampejos de consciência, de iluminação e de revelação. São como que a alma oculta das coisas, orgânicas ou não; e quando eles se retiram, as coisas morrem ou ficam inertes e tenebrosas.
O gnomo pode amar e odiar sucessivamente o mesmo ser. Pouco a pouco, na imaginação popular, assumiu a figura de um anão feio e disforme, malicioso e perverso. Em troca, sua mulher, ainda menor que ele, era de extraordinária beleza e trazia galochas nos pés: uma de rubis, outra de esmeralda. O casal, ou gnomo desdobrado em complexo masculino e feminino, simboliza a aliança em todo ser de um lado feio e um lado belo, de um lado mau e um lado bom, de um lado terroso e outro cheio de luz.
São poderes invisíveis mas que são capazes de materializar qualquer coisa que seja invisível, além de serem considerados como sendo um símbolo dos lampejos de consciência e das revelações que ocorrem usualmente aos seres humanos. Esses seres que habitavam o subsolo eram donos de grandes tesouros em pedras e metais preciosos, num simbolismo do potencial que jaz escondido em nosso inconsciente.
Trata-se, sem dúvida, de uma imagem dos estados de consciência, complexos e fugidios, em que coexistem ignorância e conhecimentos, riqueza e pobreza morais: exemplos da coincidência dos contrários, de conhecimento mantido em segredo ou ocultado.
Encontrar um gnomo no sonho representa uma busca de valores e princípios diferentes dos que compõem sua personalidade atual. Neste momento você está perseguindo uma utopia, mas que pode se tornar realidade, se você se permitir fantasiar, sonhar. Solte sua criatividade: sua natureza interna está lhe pedindo por mudanças. Não deve se assustar com a possibilidade de explorar caminhos que até agora haviam permanecidos desconhecidos para você.

GNOMOS

OS GNOMOS

Os gnomos são espíritos de pequena estatura amplamente conhecidos e descritos entre os seres elementais da terra. A origem das lendas dos gnomos terá muito provavelmente sido no oriente e influenciado de forma decisiva a cultura antiga da Escandinávia.
Com a evolução dos contos, o gnomo tornou-se na imaginação popular um anão, senão um ser muito pequeno com poucos centímetros de altura. É comum serem representados como seres mágicos não só protectores da natureza e dos seus segredos como dos jardins, aparecendo como ornamento. Usam barretes vermelhos e barbas brancas, trajando por vezes túnicas azuis ou de cores suaves. Na mitologia nórdica, os gnomos confundem-se com a tradição dos anões, pelo que não é invulgar associa-los a seres que habitam as cavernas ou grutas escuras e não suportam a luz do sol. No conceito geral, têm a capacidade de penetrar em todos os poros de terra e até de se introduzirem nas raízes das montanhas, explorando os mais ricos minérios ocultos e trabalhando-os com intenso e delicado labor. Como são difíceis de ver, simbolizam o ser invisível que através do inconsciente ou da imaginação e visão onírica tornam visíveis os objectos e materiais desejados pela cobiça humana. São os guardiões de tesouros íntimos da humanidade. Por vezes um gnomo capturado pode conceder desejos a um humano que o capture, mas a maioria das vezes o desejo realizado pode acabar por se tornar uma maldição. Tal atitude deve-se ao facto que um gnomo castiga com ardis o ser que odeia e, por isso, na imaginação popular da cultura europeia mediterrânea o gnomo é feio, disforme e malicioso.
Gnoms.
As formas demoníacas: a forma mais conhecida pelos continentes ocidentais é a forma humanoide deformada, com cores cinzas e negras. Dizem as lendas que é um ótimo lutador e faz estragos que podem até matar.
As formas amigáveis: é a forma conhecida também por duende, ele é famoso por se amigo de Papai Noel em sua fábrica de brinquedos. Amigável, usa touquinhas, tem a forma humanóide pequena, do tamanho de um menino de seis anos.

 Características na crença Wicca
Na mitologia criacionista neopagã são os responsáveis pela solidificação de toda matéria.
Todos os itens ligados à terra (terra, areia, argila, pedras, plantas…) são relacionados aos gnomos.
No corpo humano, agem principalmente nos ossos e nos sais minerais.

Como os signos de Touro, Capricórnio e Virgem são ligados às terra, as pessoas desses signos também uma maior ligação com esses seres mágicos, absorvendo portanto, em maior quantidade, as características relacionadas a eles.
Todos os gnomos são regidos pelo Rei Ghob, a quem os praticantes de magia invocam durante os rituais com esse elemento. Já os magistas angelicais geralmente invocam o arcanjo Uriel para lhes auxiliar nessas práticas.
O Rei Ghob fornece os poderes mágicos aos gnomos, e a força para que eles consigam proteger os tesouros secretos da humanidade. Era poderoso e comanda todo o mundo místico dos gnomos e duendes. Na mitologia celta, seu equivalente é a rainha Mabi. Ghob, é o Rei da Terra, e mostra-se solidamente. É atarracado, pesado e denso; aparece na imagem tradicional do gnomo, ou “goblin”, transparecendo idade avançada, força animal e uma grande sensação de “peso” intrínseco.
Direção: norte.
Símbolo no hermetismo: quadrado amarelo.
Cores esotéricas: marrom e o verde.
Instrumentos de invocação na Wicca: o Pentáculo.